Universidade privada ou federal? Conheça as diferenças

Você quer estudar em uma universidade privada ou federal? Conhece as diferenças? Se você é vestibulando e está na fase de decisão sobre o seu futuro profissional, certamente quer optar pela melhor instituição para cursar a tão sonhada graduação. Essa escolha é realmente muito importante, pois a infraestrutura e a qualidade do ensino podem influenciar diretamente na sua formação acadêmica. Portanto, vale comparar os cursos em diferentes instituições.

Durante essa análise você vai encontrar algumas diferenças. É que no Brasil as Instituições de Ensino Superior (IES) são divididas em segmentos: privada, comunitária e pública – o que costuma gerar bastante dúvida entre os estudantes. Mas fique tranquilo, porque preparamos esse texto pra te explicar direitinho o principal de cada modalidade.

Universidade Pública (Federal)

As universidades públicas são as instituições de ensino mantidas pelo Governo Federal e possuem importante papel no cenário nacional de pesquisa em diversas áreas.

Essas instituições estão espalhadas pelo Brasil com objetivo ofertar à população acesso ao ensino superior de forma gratuita, ou seja, o aluno não precisa pagar mensalidade para estudar. Em função disso, os processos seletivos são geralmente muito disputados.

Caso você opte por escolher um curso de graduação em universidade pública, é importante se informar sobre a estrutura de laboratórios, atualização de livros disponíveis na biblioteca, parcerias com o mercado de trabalho, por exemplo. Isso porque é comum as universidades federais terem estrutura defasada em função da dependência de recursos públicos.

O estudante certamente irá se deparar com pelo menos um período de greve durante a realização do seu curso. As paralisações são comuns e geralmente ocorrem devido a fatores como negociações salariais, direcionamento de verbas, melhorias na infraestrutura, entre outros.

Universidade Privada

As instituições de ensino privadas, ou particulares, são responsáveis por grande parte da oferta de vagas no ensino superior no Brasil e possuem papel estratégico na formação de profissionais. Nos últimos anos, os cursos de graduação em instituições privadas melhoraram muito, e hoje são responsáveis pelo maior número de matrículas no país, com mais de 6 milhões de estudantes.

Isso ocorre porque muitas vezes as universidades privadas preenchem lacunas encontradas no ensino público, como a flexibilização no horário das aulas, infraestrutura de melhor qualidade, currículo pensado e elaborado a partir das necessidades apresentadas pelo mercado de trabalho. Por isso, geralmente, essas instituições privilegiam mais atividades voltadas à prática.

As instituições particulares podem ser administradas por empresas privadas, cooperativas, associações ou fundação privada. Para estudar nessas universidades, os alunos precisam pagar mensalidades, seja por meio próprio ou através de financiamento estudantil.

Além disso, uma instituição privada pode ser classificada com ou sem fins lucrativos. Eventualmente, também pode ganhar o título de universidade comunitária – assunto do próximo tópico.

Universidades Comunitárias

Laboratório de Práticas Odontológicas da UCPel

As universidades comunitárias são, muitas vezes, confundidas com as particulares. Isso acontece porque ambas extraem recursos de mensalidades. No entanto, apesar do aluno investir um valor mensal para cursar uma graduação ou especialização, essa instituição é sem fins lucrativos.

O grande objetivo das universidades comunitárias é a educação e os serviços sociais que contribuem na melhoria da qualidade de vida da sociedade em que estão inseridas.

Projeto de extensão do curso de Fisioterapia da UCPel

Por isso, os recursos arrecadados são revertidos ao ensino, pesquisa e projetos de extensão que atendam à comunidade. Um bom exemplo de universidade comunitária e a Católica de Pelotas (UCPel), localizada no sul do Rio Grande do Sul.

Com quase 60 anos de existência, a UCPel é considerada comunitária desde a sua criação. A instituição conta atualmente com mais de 20 programas e projetos de extensão que proporcionam aos alunos vivências práticas reais que beneficiam a população local. Oferece ainda diversas bolsas de estudo, como o ingresso através do Prouni.

Ingresso na UCPel

Agora que você já conhece as diferenças existentes entre as universidades privadas, federais e comunitárias, fica melhor de escolher qual a melhor opção para você. Na UCPel, uma universidade comunitária, as inscrições para o Vestibular de Inverno 2020 estão abertas. São ofertadas vagas para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Direito, Odontologia e Psicologia.

Existem duas formas de ingresso: através do Vestibular Agendado e do Extravestibular. Optando pelo Vestibular, o interessado poderá ingressar através da realização de uma prova de redação ou ainda através do uso da nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Aqueles que optarem pela prova de redação, podem agendar a data através do site. Ao todo, 15 datas são ofertadas até o dia 16 de julho.

Extravestibular também está com inscrições abertas para ingresso no segundo semestre de 2020. Esta é uma modalidade diferente de admissão, uma vez que não exige prova. Além disso, atende portadores de diploma de curso de graduação, transferências, reintegração e alunos temporários.

Egressos da UCPel possuem desconto de 50% em todas as parcelas do novo curso. Para estudantes formados em outras instituições de ensino, o desconto é de 30%. Interessados em transferência terão 50% na primeira matrícula e 30% nas demais mensalidades.

Em virtude da pandemia do novo coronavírus, o setor administrativo da UCPel está desempenhando suas atividades em formato remoto. Contudo, mais informações para ingressar na UCPel podem ser obtidas através do site www.ucpel.com.br/extravestibular ou pelo e-mail extravestibular@ucpel.edu.br.

E aí, ta pronto pra encarar a Universidade? Faça o nosso teste e descubra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2020 Blog da UCPel