Coronavírus: produção de álcool gel

Mediante a pandemia do Coronavírus, a produção de álcool gel está abaixo da necessidade apresentada pelo mercado brasileiro. A compra do item por hospitais também está extremamente difícil devido ao alto preço praticado por fornecedores, o que vem estimulando instituições de ensino a fabricar o produto. Na Universidade Católica de Pelotas (UCPel), o curso de Farmácia já produziu 150 litros de álcool gel em um único dia.

Além dos professores, alunos também serão responsáveis pela continuidade da produção de álcool gel. O Laboratório de Farmacotécnica da Universidade, juntamente com outro localizado dentro do Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP), farão parte de toda a produção. Para dar conta da demanda de Pelotas e municípios vizinhos, uma parceria entre UCPel, UFPel, IFSul e Governo do Estado foi firmada.

A partir da disponibilização de insumos como álcool etílico absoluto e polímero Carbopol , duas substâncias indispensáveis na fabricação do álcool gel, as três instituições juntas esperam produzir 10 mil litros de álcool gel em curto período de tempo.

“Toda a nossa produção de álcool gel será destinada ao uso de hospitais e unidades básicas de saúde com atendimento voltado a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Professor Elemar Maganha

Professor produz álcool gel em laboratório
Professor Renato Vianna fabrica álcool gel

Álcool gel na prevenção do novo coronavírus

Lavar as mãos com frequência é o método mais eficaz contra o Coronavírus.
Lavar as mãos com frequência é o método mais eficaz contra o Coronavírus.

O uso do álcool gel é eficaz como forma de prevenção ao coronavírus. Todavia, seu uso deve ser usado como uma segunda possibilidade – o mais indicado é lavar as mãos de forma correta com água e sabão. E quando isso não for possível, o álcool gel é sim uma forma eficaz de higienizar as mãos.

Já o álcool líquido pode ser utilizado para desinfetar todo o tipo de objeto, como celulares, maçanetas, máquinas de cartões de crédito, enfim, tudo o que seja tocado por muitas pessoas com frequência. O item também é indispensável no ambiente hospitalar por evitar infecções, o que pode salvar muitas vidas.

Primeiramente, é importante saber que o álcool (tanto em gel quanto líquido) com ação antimicrobiana é o etílico ou isopropílico 70%. Ou seja, sua composição pode matar bactérias, fungos e vírus presentes em superfícies. Ainda é necessário atentar ao 70%, pois esta porcentagem de álcool é a mais indicada ao combate ao coronavírus e outras doenças. Uma porcentagem menor de álcool pode não ser efetiva e maior pode irritar a pele.

De acordo com o professor da UCPel, Renato Vianna, o álcool em gel é mais indicado ao uso da limpeza das mãos por conter glicerina e uma textura mais agradável, que adere na pele. O álcool líquido como escorre facilmente pode prejudicar o efeito antimicrobiano.

Ainda está difícil comprar álcool gel em mercados, farmácias e perfumarias, pois o abastecimento do produto não foi normalizado. Em alguns sites, o produto pode ser encontrado mas com valor elevado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2020 Blog da UCPel