banner

Simulação realística: utilização no ensino da Enfermagem

Simulação realística na Enfermagem

Já pensou em aprender a atender pacientes em manequins informatizados e responsivos? A simulação realística vem se tornando um importante método de ensino em faculdades de Enfermagem e Medicina de todo o país. Devido a pandemia provocada pelo novo coronavírus, esses espaços tecnológicos ganharam ainda mais importância. Isso, porque além de permitir o prosseguimento de atividades práticas – restritas em espaços hospitalares nos períodos de maior contágio – ainda propiciaram aos estudantes aprender técnicas de atendimento pacientes Covid-19.

A única universidade no sul gaúcho a contar com um laboratório de simulação realística é a Universidade Católica de Pelotas (UCPel). A aprendizagem por simulação é uma ponte entre a sala de aula e a experiência clínica real.

Em manequins computadorizados, estudantes da Enfermagem aprendem a realizar procedimentos de alta complexidade. Um exemplo é a prática da técnica de pronação de pacientes Covid-19 (posicionar o paciente no leito com a barriga voltada para baixo).

Como funciona a simulação realística na Enfermagem?

Antes de atender pessoas reais, estudantes da área da saúde praticam o passo a passo de inúmeros procedimentos nesses laboratórios.  Divididos em grupos, os alunos aprendem:

  • analisar o histórico de saúde do ‘paciente’,
  • fazer o exame físico para identificação das necessidades do ‘paciente’ de forma rápida;
  • realizar o procedimento indicado;
  • discutir e avaliar o atendimento prestado.

Nesse sentido, umas das professoras com atividades no laboratório da UCPel, Eliana Domingues, explica que nos manequins informatizados é possível treinar previamente diferentes cenários para o desenvolvimento de habilidades.

Conforme a professora Eliana, no laboratório ainda é possível reforçar temáticas específicas da enfermagem, como a anamnese (um tipo de entrevista simulada entre os próprios alunos) e o exame físico para identificação das necessidades do paciente de forma rápida. “Aproveitamos também para revisitar procedimentos mais complexos aplicados em pacientes graves e que são privativos do enfermeiro”, conta. 

Eu vou usar a simulação em quê?

A simulação realística na Enfermagem é importante por proporcionar aos alunos a possibilidade de repetição, reconhecimento de padrões e tomada de decisão mais rapidamente. Ajuda ainda no conhecimento para gerenciar crises, na flexibilidade, no uso do conhecimento factual, no pensamento crítico, interação com a equipe, tempo de resposta; habilidades de comunicação, estratégia, decisões múltiplas e colaboração.

O cenário clínico simulado ainda possibilita que os elementos necessários no contexto da simulação possam ser modificados, aumentando o grau de dificuldades dos atendimentos. O cenário é preparado previamente de modo a reproduzir da forma mais fidedigna a realidade clínica. Em um ambiente de aprendizado seguro, os estudantes se sentem estimulados a correr riscos, cometer erros e sair de sua zona de conforto.

É justamente essa segurança para realizar os primeiros atendimentos que agrada os estudantes. Na avaliação do acadêmico do curso de Enfermagem da UCPel, Joniel Behling, no laboratório são realizadas técnicas que salvam pacientes.

“Poder simular diversas vezes e de forma bem próxima a realidade tem me garantido mais confiança ao lidar com pacientes reais”, diz.

Entretanto, a professora da UCPel frisa que a passagem pelo laboratório de simulação é preparatória e completa a experiência, visto que ela qualifica a formação dos alunos.

O laboratório de simulação proporciona a aplicabilidade da teoria com a prática. Os alunos da Enfermagem simulam e treinam várias vezes o mesmo cenário. Nesse sentido, quando o aluno se depara com uma situação já vivenciada, ele se sente mais preparado”.

Espaço de simulação realística

Voltado para treinar situações que o acadêmico e futuro profissional encontrará em hospitais, clínicas e laboratórios, o Laboratório de Simulação Realística da UCPel, também conhecido como Simlab, contém:

  • Salas de habilidades cirúrgicas/clínicas;
  • Enfermaria;
  • Debriefing (espaço de debate entre os acadêmicos e professores sobre os procedimentos realizados);
  • Salas de Simulação Realística de média e alta fidelidade e complexidade;
  • Salas de aula/habilidades com metodologia ativa.

A UCPel possui diversos manequins de baixa, média e alta complexidade. Os de alta complexidade têm reações muito próximas do ser humano.

Outro equipamento tecnológico da UCPel e utilizado pelos acadêmicos da área da saúde é a Mesa Sectra, instalada junto ao Laboratório de Morfologia. Esse equipamento é considerado o que tem de mais moderno no auxílio de visualizações de imagens diagnósticas para as ciências da saúde. Como resultado, ele já está transformando o ensino de Medicina em muitos países.

Isso porque, a Mesa Sectra é capaz transformar imagens 2D em imagens 3D Full HD. Além de facilitar o compartilhamento de matérias e conhecimentos entre os usuários, ainda possui múltiplas ferramentas de manipulação e proporciona uma imersão profunda no corpo humano. Possibilita a visualização e o estudo de músculos, tecidos e ossos através de camadas.

Vem pro curso de Enfermagem da UCPel

Sempre sonhou em atuar na área da saúde? Então considere estudar na UCPel. Além do Laboratório de Simulação Realística, a universidade possui um hospital próprio, o Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP), administra seis Unidades Básicas de Saúde em Pelotas (UBS), conta com um campus exclusivo para cursos da saúde e um ambulatório de especialidades.

Para finalizar, no site do Vestibular, você consegue acompanhar todos os processos seletivos e formas de ingresso disponibilizados pela UCPel. Confere lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2021 Blog da UCPel