Cinco filmes para te ajudar nos estudos

Cenas de três filmes que serão apresentados posteriormente no texto

Filmes proporcionam o contato com diferentes histórias. São múltiplas realidades, perspectivas e abordagens que passam pelo registro em frames cinematográficos. Portanto, o envolvimento com toda sorte de narrativas propicia ao espectador agregar informações, refletir sobre questões sociais e ainda expandir a bagagem de conhecimento pessoal e de mundo. Assistir a um longa-metragem acaba por se tornar mais que um momento de lazer, uma vez que as horas de entretenimento costumam repercutir em aprendizado. Tais experiências ainda podem servir de vantagem para quem recém adentrou à universidade. Segue abaixo algumas sugestões de filmes para contribuir com os estudos em várias áreas, como Medicina, Direito, Enfermagem, Arquitetura e Psicologia.

"Patch Adams" é um dos filmes ideais para os estudos em Medicina. Com nariz de palhaço, personagem interage com criança

Patch Adams

Este é um dos filmes essenciais para os estudos em Medicina. Baseado em uma história real, “Patch Adams – O amor é contagioso” (1998) acompanha Robbin Williams como o estudante de Medicina que desenvolve um método inusitado. Através de uma relação mais próxima entre médico e paciente, o protagonista ensina seus colegas de profissão sobre o atendimento humanizado. Adams dizia que ser médico não é apenas tratar doenças, mas também se aproximar das pessoas e deixar que compartilhem suas vidas. Estabelecem, assim, uma conexão e faz-se que as mesmas deixem de constar apenas como números. “Que os estudantes não deixem se anestesiar pelo milagre da vida”, propagou Adams.

"O sol nasce para todos" é um dos filmes ideais para os estudos em Direito. No tribunal, Atticus Finch defende lavrador negro

O sol nasce para todos

O clássico “O sol nasce para todos” (1963) apresenta, através dos olhos de uma criança, um polêmico caso de racismo em uma pequena cidade no sul dos Estados Unidos. Gregory Peck interpreta o advogado Atticus Finch, que aceita defender um lavrador negro acusado de estuprar a filha de um fazendeiro da região. Assim sendo, Finch irá enfrentar a comunidade local preconceituosa, que está pronta para linchar o acusado. As questões levantadas pelo roteiro são uma aula de Direitos Humanos entre os filmes que contribuem para os estudos na área de Direito. Ademais, se quiser mais detalhes sobre a narrativa, pode procurar pela obra original, o livro homônimo vencedor do Pulitzer escrito por Harper Lee.

"Um método perigoso é um dos filmes ideais para os estudos em Psicologia. Na cena, Carl Jung e Sigmund Freud debatem em escritório

Um método perigoso

O inesperado encontro entre dois gigantes da mente humana, Carl Jung e Sigmund Freud, é apresentado no longa-metragem “Um método perigoso” (2011), dirigido por David Cronenberg. A dupla se reúne quando Jung está iniciando seu projeto de “cura através de conversas” e Freud está começando a ganhar notoriedade internacional. A empatia da dupla, portanto, é imediata. A primeira conversa dura nada menos que 13 horas. Todavia, uma paciente tratada por ambos pode colocar tudo a perder. A produção é indicada para os estudantes Psicologia, que poderão saber um pouco mais sobre dois mestres da ciência moderna, responsáveis por definir os rumos da psicanálise.

Na cena do filme "Medianeras", Mariana aparece em pequena janela de uma medianera

Medianeras

Embora travestido de comédia romântica, “Medianeras: Buenos Aires na era do amor virtual” (2011) explora uma interessante questão contemporâneas que envolve os estudos da Arquitetura moderna. A trama mostra dois jovens solitários, vizinhos de prédio, que, aparentemente tão próximos, encontram-se separados por uma esmagadora metrópole. Dessa forma, Martin e Mariana vivem trancafiados em seus apartamentos minúsculos, isolados do que acontece fora de suas zonas de conforto. Frustrações e expectativas de vida são desenhadas em tela, tendo como pano de fundo a capital argentina. A tal “medianera” do título, entretanto, refere-se ao lado cego dos edifícios, sem janelas, geralmente utilizado para propagandas. É assim que os personagens se sentem perante o mundo: uma pequena parte aprisionada.

"O escafandro e a borboleta" é um dos filmes ideais para os estudos em Enfermagem. Na cena, enfermeira auxilia Jean-Dominique Bauby

O escafandro e a borboleta

Jean-Dominique Bauby, apelidado de Jean-Do, foi editor da revista de moda Elle e transitava pelo badalado mundo das celebridades francesas. Repentinamente, aos 43 anos, sofreu um derrame que o deixou em coma durante três semanas. Ao despertar, descobriu-se incapaz de mexer qualquer parte do corpo, exceto o olho esquerdo. Na tentativa de se comunicar, ele pisca uma vez para “sim” e duas para “não”. Esta história verídica sobre a adaptação de um homem ativo e saudável a um estado de vida vegetativo é importante para desenvolver empatia em qualquer estudante de Enfermagem, uma vez que terá de lidar com casos de pacientes com limitações, semelhantemente à narrativa de “O escafandro e a borboleta“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© Copyright 2020 Blog da UCPel